Colômbia diz nunca ter impedido contatos para libertar reféns

A Colômbia disse nesta quarta-feira quenunca colocou obstáculos para os contatos de governos com amaior guerrilha esquerdista do país para libertar sequestrados,incluindo a ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt. O comunicado do governo do presidente Alvaro Uribe veiodepois de um porta-voz da França dizer que o chefe das ForçasArmadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) Raúl Reyes, morto emum bombardeio ordenado por Bogotá sobre o Equador, era ointerlocutor para a libertação dos reféns. "Jamais o governo atrapalhou esses contatos", disse um daPresidência da Colômbia. A morte de Reyes e de mais 23 rebeldes em um bombardeiocolombiano sobre o Equador desatou uma crise diplomática. Opresidente equatoriano, Rafael Correa, classificou o ataque deum massacre que violou a soberania do seu país. O Equador cortou relações diplomáticas com a Colômbia eexpulsou o embaixador de Bogotá em Quito. "O Equador nunca consultou nem informou ao governo daColômbia que estava adiantando contatos com as Farc para alibertação dos sequestrados", diz o texto.A Venezuela também expulsou o embaixador colombiano em Caracasem meio à crise diplomática na qual Bogotá acusou o presidenteHugo Chávez e a Correa de manter contatos secretos e de apoiaras Farc, o que os dois governos negaram. (Reportagem de Luis Jaime Acosta)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.