Colômbia diz que não irá retirar embaixador de Caracas

O governo da Colômbia disse nesta terça-feira, 27, que não vai retirar seu embaixador de Caracas, apesar de o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, ter convocado seu representante em Bogotá depois que o governo colombiano suspendeu a mediação feita por Chávez junto à guerrilha local. O presidente da Colômbia, Alvaro Uribe, havia autorizado que Chávez negociasse a libertação de quase 50 reféns em poder da guerrilha colombiana Farc, mas recuou depois que Chávez consultou um general colombiano sem a autorização de Uribe. "Vamos continuar monitorando esta situação", disse o chanceler colombiano, Fernando Araújo, a jornalistas. Este é o pior incidente diplomático entre os dois países desde que Chávez retirou seu embaixador de Bogotá, em 2005, em protesto contra a infiltração de agentes colombianos que capturaram um guerrilheiro que estava foragido na Venezuela e o levaram de volta à Colômbia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.