Efe/Reproduçaõ da Telesur
Efe/Reproduçaõ da Telesur

Colômbia diz que TV venezuelana sabia coordenadas de resgate de Moncayo

Canal Telesur fez imagens de refém antes mesmo de sua liberação na selva colombiana

30 de março de 2010 | 19h23

Efe

 

FLORENCIA- O governo colombiano disse nesta terça-feira, 30, que o canal Telesur já sabia a localização do refém das Farc Pablo Emílio Moncayo, pouco antes de sua liberação em uma área de selva onde foi entregue a uma missão humanitária.

 

"Este meio de comunicação deve explicar ao país porque estava em um ponto do território colombiano em companhia de guerrilheiros das Farc", disse o alto comissário para a paz na Colômbia, Frank Pearl, a jornalistas no aeroporto de Florencia, onde Moncayo é aguardado.

 

Pearl condenou que o canal "se preste a fazer propaganda a um grupo terrorista e sequestrador como as Farc".

 

As primeiras imagens da Telesur mostram o refém impaciente pela chegada da ,ossãp humanitária que o resgatou.

 

"Dentro dos acordos que foram feitos com a missão humanitária está o de não usar câmeras de vídeo ou fotográficas para evitar a divulgação de imagens durante a operação de liberação", advertiu o comissário.

 

Pearl também condenou a postura da mediadora ante os rebeldes, a senadora Piedad Córdoba, e do monsenhor Leonardo Goméz, garantidor da Igreja para a missão, que deveriam "exigir o respeito à filosofia do acordo, que era de fazer uma operação discreta".

 

Nas primeiras imagens divulgadas pela Telesur, Moncayo aparece vestido com um traje camuflado, caminhando impaciente pela selva. "Faltam poucas horas para me reencontrar com minha família", disse o sargento enquanto olhava o relógio e depois o céu, em busca do helicóptero brasileiro que faria seu resgate.

 

Além de Moncayo, também aparecem nas imagens a senadora Córdoba e o monsenhor Gómez, enquanto conversavam com um grupo de guerrilheiros.

 

Pablo Emílio Moncayo é um dos reféns que ficou sequestrado por mais tempo pelas Farc, com 12 anos e três meses de cativeiro.

Tudo o que sabemos sobre:
resgateFarcColômbiaPiedad Córdoba

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.