Colômbia diz ter apreendido armas da Venezuela com as Farc

Arsenal, que inclui antitanques e lança-foguetes, veio originalmente da Europa e acabou nas mãos da guerrilha

Reuters

27 de julho de 2009 | 16h02

A Colômbia revelou nesta segunda-feira, 27, ter apreendido no passado um poderoso arsenal, que incluía armas antitanque e lança-foguetes, sob poder das Farc originalmente comprado pela Venezuela de um país europeu e investiga como o armamento chegou nas mãos dos guerrilheiros.

 

Veja também:

linkEquador inicia investigação de vídeo que liga Correa às Farc

especialEspecial: Por dentro das Farc

O vice-presidente colombiano, Francisco Santos, deu a informação um dia após o presidente Alvaro Uribe pedir à comunidade internacional que não venda armamento às Farc, considerada um grupo terrorista pelos Estados Unidos e Europa, como reação à reportagem que revelou a apreensão das armas.

Santos alertou que as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), o maior grupo guerrilheiro no país, têm capacidade de adquirir equipamentos de maneira simples através de mecanismos proibidos por toda legislação internacional.

"Em várias operações pudemos recuperar arsenais das Farc. Encontramos munições potentes, equipamentos potentes, entre outros, armas antitanque que um país europeu vendeu à Venezuela e que apareceram em mãos das Farc", afirmou Santos em entrevista a uma rádio local. "Isso requer muitíssimo cuidado e uma vigilância extrema", acrescentou.

A revista Semana informou que no final de 2008, em uma das várias operações do Exército contra as Farc, foram encontrados em um acampamento de um temido guerrilheiro vários lança-foguetes AT-4 de fabricação sueca adquiridos pela Venezuela.

Tudo o que sabemos sobre:
VenezuelaFarcColômbia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.