Colômbia e Equador adiam reunião de aproximação para terça

A Colômbia e o Equador suspenderam nasegunda-feira uma reunião que buscaria maneiras de restabelecersuas relações diplomáticas, por motivos de agenda. Mas osvice-chanceleres dos dois países se reunirão na terça-feirapara continuar as conversas. A reunião faz parte dos esforços da Organização dos EstadosAmericanos (OEA) para que Quito e Bogotá retomem suas relaçõesdepois da ruptura provocada pela incursão de tropas colombianasem solo equatoriano, em uma operação contra as Forças ArmadasRevolucionárias da Colômbia (Farc), em março. As aproximações acontecem pouco depois que o Equador e aColômbia fizeram acusações mútuas a respeito do alcance daviolação territorial, dos mecanismos para enfrentar as Farc edas supostas ligações políticas da guerrilha com o Equador e aVenezuela. Os vice-chanceleres do Equador, José Valencia, e daColômbia, Camilo Reyes, estão explorando mecanismos paraaliviar a disputa com o apoio da OEA, mas problemas na agendado representante colombiano obrigaram-no a adiar o encontro,que ocorrerá na capital peruana. Valencia e Reyes vão se encontrar na terça-feira, confirmouo Ministério das Relações Exteriores do Equador, citando a OEA. O resultado da reunião é crucial para um possível encontroentre os presidentes do Equador, Rafael Correa, e da Colômbia,Álvaro Uribe, na cúpula da América Latina, Caribe e UniãoEuropéia, que ocorre no dia 16 de março no Peru, à qualcomparecerão líderes do Atlântico e do Pacífico. A incursão colombiana foi condenada pela comunidadeinternacional, que a considerou uma violação da soberania doEquador. Nela, morreu o número dois das Farc, Raúl Reyes, emais 24 pessoas. A Colômbia e o Equador compartilham uma fronteira de cercade 600 quilômetros que se transformou em centro de operações degrupos irregulares, mas os dois países não tomam uma políticade segurança comum devido às diferenças entre Correa e Uribe. (Por Carlos Andrade)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.