Colômbia enviará acusado de tráfico à Venezuela, diz Chávez

A Colômbia extraditará um empresário acusado de narcotráfico para que seja julgado na Venezuela, seu país natal, disse no domingo pela TV cubana o presidente venezuelano, Hugo Chávez.

REUTERS

08 de novembro de 2010 | 10h00

Ele afirmou que o presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, prometeu numa recente reunião que Walid Makled, conhecido como "Turco", será extraditado para a Venezuela, e não para os EUA, onde também é procurado pela Justiça.

Chávez teme que os EUA usem o caso para tentar desacreditá-lo.

Makled foi preso em agosto na Colômbia, numa operação com participação de agentes dos EUA. Ele é acusado de enviar várias toneladas mensais de cocaína para os Estados Unidos e a Europa, em aliança com rebeldes esquerdistas colombianos.

"Espero que em breve tenhamos esse bandido diante das cortes venezuelanas", disse o socialista Chávez, que foi a Havana assinar acordos de cooperação.

Numa entrevista a uma TV, Makled disse que deu 2 milhões de dólares numa campanha eleitoral de Chávez, em 2007, e que em troca recebeu uma concessão em Puerto Cabello, na Venezuela, suposto ponto de embarque para as drogas.

Chávez disse que os EUA fariam Makled "vomitar" as acusações contra ele, usando o caso como justificativa para colocar a Venezuela numa lista de países que os EUA acusam de apoiar o narcotráfico.

"Tenho certeza de que o governo colombiano não vai participar desse jogo", disse Chávez.

(Reportagem de Esteban Israel em Havana e Diego Ore em Caracas)

Tudo o que sabemos sobre:
VENEZUELATRAFICANTECHAVEZ*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.