Colômbia não quer muro na fronteira com Venezuela, diz Uribe

O presidente colombiano, Álvaro Uribe, pediu nesta quarta-feira para que a Venezuela mantenha a integração na fronteira binacional e disse que jamais construirá "um Muro de Berlim" que separe os habitantes das duas nações, imersas em uma crise diplomática que afeta o comércio.

REUTERS

04 Novembro 2009 | 22h12

A declaração do mandatário acontece em meio à intensificação da crise diplomática entre os dois países e depois que o presidente venezuelano, Hugo Chávez, ameaçou fechar a fronteira e reforçar o controle militar após o assassinato de dois efetivos venezuelanos da Guarda Nacional.

"A Colômbia jamais construirá um Muro de Berlim na fronteira, nossas pátrias não podem ser divididas, não podem ser separadas. No lugar de construir um Muro de Berlim, a Colômbia oferece cooperação judicial", disse Uribe durante uma cerimônia do governo.

O mandatário defendeu o direito dos habitantes da fronteira e disse que eles devem continuar vivendo integrados no que definiu como um "direito sagrado".

Colombianos residentes na fronteira com a Venezuela denunciaram na terça-feira abusos por parte de efetivos militares deste país durante o fechamento da fronteira.

"Para nós, os habitantes da fronteira constituem uma família, que não faz diferença se estão em um ou em outro lado da fronteira, e o que não se pode fazer e a Colômbia nunca fará é criar muros para separar os integrantes da família", garantiu Uribe.

(Reportagem de Luis Jaime Acosta)

Mais conteúdo sobre:
COLOMBIA VENEZUELA MURO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.