Colômbia oferece recompensa por túmulo de 'Tirofijo'

Governo oferece U$ 2 milhões por informações sobre ex-líder das Farc

Efe

27 de maio de 2008 | 21h48

As autoridades colombianas ofereceram nesta terça-feira, 27, uma recompensa de 5 bilhões de pesos (US$ 2,7 milhões) por uma informação que permita localizar o lugar onde foi enterrado o líder máximo das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), Pedro Antonio Marín, conhecido como "Manuel Marulanda" ou "Tirofijo". Veja também:Aos 44, Farc podem se dividir, diz analistaHéctor Saint Pierre, professor da Unesp, fala do futuro dasFarc Morte de Marulanda mergulha as Farc em dúvidas'Alfonso Cano', o novo líder das FarcPor dentro das Farc Histórico dos conflitos armados na região  Timochenko confirma a morte de Tirofijo   O comandante do Exército, general Mario Montoya, assinalou em entrevista coletiva que as tropas realizam intensas operações na zona onde se presume que poderia ter morrido o chefe rebelde, porque é "importantíssimo poder fazer o reconhecimento desse corpo". "Indiscutivelmente, isso se transforma em um objetivo para nós, em uma tarefa. Estamos precisamente com as tropas na área e já receberam instrução por parte do comando geral para oferecer uma recompensa, um pagamento por informação, à pessoa que nos leve e nos indique onde foi enterrado", disse o oficial. As Farc confirmaram no domingo que Tirofijo morreu em 26 de março de um ataque cardíaco, tal como tinha antecipado um dia antes o Governo colombiano. Além disso, disseram em um vídeo que o novo comandante das Farc é Guillermo León Sáenz, conhecido como "Alfonso Cano", ideólogo do grupo insurgente.

Tudo o que sabemos sobre:
FarcTirofijo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.