Colômbia promete à OEA dados de computadores das Farc

A Colômbia disse nasegunda-feira que entregará à Organização dos EstadosAmericanos (OEA) informações relativas aos computadoresapreendidos num acampamento da guerrilha Farc, que supostamentecomprovam os vínculos dos rebeldes com os governos de Equador eVenezuela. A oferta ocorre um dia depois de a chanceler do Equador,María Isabel Salvador, pedir à OEA que investigue o conteúdodos computadores, que supostamente pertenciam ao dirigenteguerrilheiro Raúl Reyes, morto num bombardeio colombiano em 1ode março no território equatoriano. "Nós acolhemos [a proposta do Equador], claro que teremostodo prazo em enviar à OEA a mesma informação que já enviamosao governo do Equador", disse o ministro colombiano de RelaçõesExteriores, Fernando Araújo. Mas ele ressaltou que a OEA não tem entre suas atribuições"a de fazer investigações penais". "É preciso entender isso dentro de um ambiente político,[para] que haja todos os elementos para poder construirmecanismos eficazes de luta contra o terrorismo." O Equador suspendeu as relações diplomáticas com Bogotádevido à ação militar em seu território. A Venezuela fez omesmo, em solidariedade a Quito. O governo equatoriano desqualificou o laudo da Interpol(polícia internacional) que certificou a autenticidade dosarquivos de informática apresentados pela Colômbia, sem noentanto aferir a veracidade do seu conteúdo. O secretário-geral da OEA, José Miguel Insulza, disse que aentidade tem capacidade para investigar os dados doscomputadores. "Do ponto de vista técnico, não vamos fazer uma revisão dascoisas que disse a Interpol, teríamos que ver o tema dosconteúdos, o que a ministra quer que se esclareça precisamenteé quais coisas são reais e quais não", disse Insulza. Ele deve apresentar um relatório sobre o estado dasrelações entre Colômbia e Equador na terça-feira, último dia da38a Assembléia Geral da OEA, em Medellín. (Reportagem de Nelson Bocanegra)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.