Colômbia quer visita da Cruz Vermelha a reféns das Farc

O presidente colombiano, Alvaro Uribe,pediu no domingo que a Cruz Vermelha seja autorizada a visitaros reféns da guerrilha Forças Armadas Revolucionárias daColômbia (Farc), o que segundo ele abriria caminho para que sualibertação fosse negociada. Dois dias antes, Uribe havia estabelecido condições para aentrega de cerca de 50 reféns das Farc, entre eles aex-candidata a presidente Ingrid Betancourt. Uribe ainda aguarda a resposta das Farc à sua proposta deque a troca dos reféns por guerrilheiros presos ocorra em umaárea florestal de 150 quilômetros quadrados, para onde osrebeldes não poderiam levar armas. Analistas acham difícil queas Farc aceitem os termos do governo. "Pedimos que a Cruz Vermelha seja autorizada a entrar emlugares onde os reféns são mantidos, a fim de evitar adeterioração de suas condições", disse Uribe. Yves Heller, porta-voz da Cruz Vermelha Internacional,disse que o grupo está disposto a fazer a visita. "Estamos emcontato com as Farc para fazê-la, mas até agora não recebemos osinal verde", afirmou. Em novembro, o governo apreendeu e divulgou vídeos em queos reféns aparecem. Em uma das imagens, Betancourt, sequestradahá quase seis anos, tem aspecto magro e abatido. Uribe aconselhou combatentes da guerrilha a se aproveitarde um novo fundo de 100 milhões de dólares criado para ajudarquem desertar das Farc, resgatar reféns e entregá-los aogoverno. "Não continuem seguindo as ordens de seus comandantesterroristas", disse ele pela TV. "É hora de uma reflexãohumanitária." A guerrilha marxista atualmente se financia em parte com otráfico de cocaína, e até políticos colombianos de esquerdadizem que a guerrilha tem escasso apoio popular.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.