Colômbia rejeita pedir a Sarkozy que se reúna com as Farc

A Colômbia negou na quarta-feira apossibilidade de pedir ao presidente da França, NicolasSarkozy, que se reúna com membros das guerrilhas da Farc paramediar a libertação de 49 reféns, entre eles a ex-candidata apresidência Ingrid Betancourt. "Não, sob nenhum circunstância. Gerou-se um equívoco ontem[terça-feira] que não corresponde à realidade, nunca o governocolombiano pretendeu pedir ao presidente Sarkozy que se reúnacom as Farc", disse o alto-comissário do governo para a Paz,Luis Carlos Restrepo, desmentindo rumores da imprensa. "Nós não fizemos tal solicitação nem pensamos fazê-la,volto e insisto, este é um momento em que o governo colombianotoma em suas mãos a direção deste processo", acrescentou. A Colômbia suspendeu há duas semanas a mediaçãoestabelecida pelo presidente da Venezuela, Hugo Chávez, e pelasenadora oposicionista Piedad Córdoba. Em troca dos reféns, asFarc querem a libertação de centenas de guerrilheiros presos. O presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, busca agora umcontato direto com a guerrilha, possibilidade que no passadoele rejeitava. Uma fonte do governo disse que Uribe quer acompanhia da França nesse processo. (Reportagem de Luis Jaime Acosta)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.