Colombiano seqüestrado pelas Farc foge do cativeiro

Prestador de serviços de estatal colombiana do setor elétrico ficou oito dias em poder da guerrilha

EFE

19 de julho de 2008 | 16h31

Um prestador de serviço de uma empresa estatal do setor elétrico colombiano fugiu hoje dos guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) que o mantinham em seu poder há uma semana no sudoeste do país, informaram porta-vozes policiais regionais.   O ex-refém se apresentou perante os responsáveis da estação da Polícia em Chaparral, localidade a mais de 200 quilômetros de Bogotá, no departamento do Tolima, disse o comandante regional da instituição, coronel Julio César Santoyo.   O oficial disse a um correspondente da cadeia "Caracol Radio" em Ibagué, a capital do departamento, que Willian Cárdenas conseguiu escapar da montanhosa na qual era mantido refém pelos rebeldes e chegou a Chaparral após caminhar várias horas.   Cárdenas fazia parte de equipes contratados pela Isagen, divisão de geração da estatal Interconexão Elétrica S/A (ISA), para realizar os estudos técnicos do projeto hidrelétrico de Amoyá, que se construirá na região.   Ele tinha sido seqüestrado há oito dias pelas Farc. O chefe policial não informou se os rebeldes já tinham exigido dinheiro pela libertação de Cárdenas.

Tudo o que sabemos sobre:
farcrefém

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.