Com 10% nas pesquisas, argentino diz fazer 'contato' com ETs

Governador de San Luis, Rodríguez Sáa é famoso por afirmar ter contatos com habitantes do planeta 'Xilium'

Ariel Palacios, do Estadão,

26 de outubro de 2007 | 16h28

Poucos políticos no mundo poderiam reunir os adjetivos de "eficaz", "caudilho" e "amigo de extraterrestres". No entanto, no interior da Argentina, na austera província de San Luis, seu governador, Alberto Rodríguez Saá, pode acumular todas essas qualificações. De quebra, ele é candidato à presidência da República nas eleições deste domingo pelo Frente Justicia, Unión y Libertad (Frejuli), uma sublegenda do Partido Justicialista (Peronista). Tudo indica que Alberto será vitorioso nestas eleições. No entanto, essa vitória ficaria restrita à sua província, onde conta com vasto apoio popular.  Veja TambémEspecial: as eleições argentinas'Kirchner é o anticristo', diz MenemCasa Rosada beneficia entidades e ganha apoio político no interiorCristina: 'Não sou Hillary nem Evita'Kirchner seduz interior empobrecido San Luis seria a única região da Argentina onde a candidata do governo, a primeira-dama Cristina Fernández de Kirchner, não arrebataria o primeiro lugar. Mas, Alberto Rodríguez Saá, no total dos votos em todo o país, não passaria de 10%. San Luis é seu feudo, compartilhado com seu irmão Adolfo Rodríguez Saá. Ambos governam a província desde 1983. Os dois são acusados pelos críticos de "ladrões". Seus defensores afirmam que a dupla "rouba mas faz... e faz muito, com eficácia".  Alberto é famoso por afirmar que tem contatos telepáticos com os habitantes do planeta Xilium. Em sua casa exibe várias pinturas que retratam as paisagens desse mundo. Seus críticos ironizam, e perguntam se, caso Alberto seja eleito presidente, ele abrirá uma "embaixada" desse planeta em Buenos Aires.  Ele foi reeleito governador há poucos meses com mais de 80% dos votos, uma proeza não registrada em província alguma na Argentina. Os "puntanos" (denominação dos nascidos em San Luis) idolatram os Rodríguez Saá, que controlam a província com mão de ferro. Ambos são caudilhos e descendentes de uma linhagem de caudilhos do início do século XIX.  Mentor intelectual da dupla de irmãos, Alberto também decidiu transformar sua austera província em uma "Hollywood" argentina fornecendo subsídios a cineastas. Foi desta forma, que ele conheceu a atriz Ester Goris, com a qual está namorando. Goris ficou famosa ao interpretar Evita Perón no cinema.  'El Adolfo'  "El Adolfo", como é chamado o irmão de Alberto, governou San Luis durante 18 anos (1983-2001). Em 1993 Adolfo protagonizou um escândalo sexual. Na ocasião, o então governador foi encontrado no motel "Y que C..." (Sei lá eu...) com sua amante Esther "La Turca" Sessín. A cena, além dos dois, era protagonizada por um vibrador cuja usuária não era Sessín. Na época, Rodríguez Saá denunciou à polícia que foi raptado e sofreu "abusos físicos". Apesar do rebuliço causado pelo inédito affaire, Adolfo continuou sendo reeleito. Adolfo somente deixou o cargo para ocupar a presidência da República, na última semana de 2001. É chamado de "Adolfo, el breve", pois durou sete dias no posto, renunciando depois de perder o apoio dos governadores. Sua semana no poder foi atribulada, pois declarou o calote da dívida pública argentina. Alberto foi senador enquanto o irmão foi governador. Entre 2001 e 2003 a província foi comandada formalmente por uma aliada, até que Alberto tomou posse do governo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.