AP
AP

Com 60% dos votos apurados, Piñera deve ser eleito no Chile

Mais de oito milhões de chilenos votam neste domingo para eleger o novo presidente do País

agências internacionais,

17 de janeiro de 2010 | 17h56

A contagem de votos no segundo turno das eleições presidenciais começou no final desta tarde, no Chile. AS 34.325 urnas mesas foram abertas as 7h e fecharam as 16h locais. Mais de 8,2 milhões de cidadãos foram convocados para eleger o sucessor da socialista Michelle Bachelet. Segundo o Canal 13, de televisão, o candidato direitista Sebastián Piñera está na frente com 52% dos votos contra 48% do candidato governista Eduardo Frei, com 60% das urnas apuradas. Se Piñera vencer, será a primeira vitória da direita chilena desde 1958.

 

Após votar em Santiago, o direitista Sebastián Piñera disse que "vêm tempos melhores", enquanto o governista Eduardo Frei afirmou que vai ser "o sucessor da presidente (Michelle) Bachelet por vontade popular" logo depois de depositar sua cédula na cidade de La Unión, a cerca de 900 quilômetros ao sul da capital chilena.

 

Bachelet, que chega ao fim de seu mandato com uma aprovação popular de 81%, preferiu destacar que o Chile "demonstrará hoje mais uma vez sua capacidade democrática".

 

A presidente chilena anunciou que, assim que os resultados sejam divulgados, parabenizará o governante eleito e se reunirá com ele já nesta segunda-feira, cumprindo o que chamou de "tradição republicana" chilena.

 

De acordo com o desenvolvimento das primeiras horas de votação, os primeiros números oficiais devem ser conhecidos por volta das 19h locais (20h de Brasília). O resultado final deve ser anunciado três horas depois.

 

No primeiro turno, Sebastián Piñera recebeu 44,03% dos votos, contra 29,60% para Eduardo Frei.

 

Um otimista Piñera prometeu "tempos melhores" após votar e previu "uma grande vitória".

"Comemoraremos como os democratas, com alegria, com unidade e com tranquilidade", disse o milionário investidor após deixar o local de votação, enquanto alguns de seus partidários se envolviam em uma discussão com eleitores de Frei.

 

Presidente chileno entre 1994 e 2000, Frei prometeu governar "para todos os chilenos" e se declarou representante "do mais profundo de nosso povo, da alma do Chile".

 

"Representamos a imensa maioria dos chilenos e, a partir de amanhã, todos os chilenos, porque serei presidente de todos os chilenos, dos que votaram por mim e dos que não votaram por mim", afirmou o candidato governista.

 

Tudo o que sabemos sobre:
Chile

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.