Fernando Vergara/AP
Fernando Vergara/AP

Com processo de paz, cresce popularidade de presidente da Colômbia

Apesar da melhor aprovação de Santos, mais de metade dos colombianos acredita que negociação irá fracassar

Reuters

31 de outubro de 2012 | 18h10

BOGOTÁ - A aprovação popular ao presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, cresceu sete pontos, para 58 por cento, refletindo o apoio da opinião pública ao atual processo de paz com a guerrilha Farc, segundo pesquisa Gallup divulgada nesta quarta-feira, 31.

Seu êxito, quase certamente, garantiria um segundo mandato para Santos em 2014. No entanto, mais de metade dos colombianos acredita que a negociação irá fracassar, como já aconteceu em ocasiões anteriores.

"Há uma bipolaridade, ou uma esquizofrenia, se você preferir. Existe obviamente um desejo de paz, um desejo de acabar a guerra, mas esta é a quarta tentativa de negociação com as Farc", disse o gerente-geral do Gallup na Colômbia, Jorge Londoño. "As pessoas estão mais cientes de que não será fácil."

Santos foi eleito com grande votação em 2010, mas neste ano sua popularidade caiu pela primeira vez abaixo dos 50 por cento. Mas, houve uma recuperação consistentemente desde o anúncio do processo de paz, em agosto.

As negociações foram formalmente iniciadas em 18 de outubro, mas o começo do processo já foi turbulento, com a guerrilha dizendo que desejava negociar vários tópicos que não estavam especificados na pauta de cinco itens. O governo rejeitou isso, dizendo que não discutiria questões alheias à pauta, especialmente a exigência para que mineradoras estrangeiras paralisem suas atividades na Colômbia.

O Gallup ouviu por telefone 1.200 pessoas em cinco grandes cidades entre os dias 20 e 26 de outubro. A margem de erro é de 3 pontos percentuais.

Críticos dizem que as pesquisas falham ao deixar de fora as zonas rurais da Colômbia, regiões mais afetadas pela guerra civil das últimas cinco décadas. O levantamento do Gallup mostrou que 72 por cento apoiam as negociações com as Farc, mas só 39 por cento acreditam no seu sucesso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.