Com Sarkozy, Chávez promete sinais de vida de reféns das Farc

Em Paris, presidente venezuelano cita líder da guerrilha e diz que provas serão divulgadas 'até o final do ano'

Efe,

20 de novembro de 2007 | 12h43

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, reuniu-se nesta terça-feira, 20, com o chefe de Estado francês, Nicolas Sarkozy, em um encontro que busca impulsionar a troca de reféns em poder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) por membros presos da guerrilha colombiana.   Veja Também  Colômbia estabelece prazo para mediação de Chávez com Farc   Ao término do encontro, Chávez anunciou que o líder das Farc Manuel Marulanda prometeu apresentar provas de vida da franco-colombiana Ingrid Betancourt e de outros reféns da guerrilha "antes do fim do ano".   Ao chegar ao Palácio do Eliseu, Chávez passou revista a um destacamento da Guarda Republicana, antes de se aproximar da escada do palácio presidencial, onde era esperado pelo chefe de Estado francês.   Os dois líderes se cumprimentaram, posaram para as câmeras e entraram no Palácio presidencial.   A reunião - um almoço de trabalho - ocorre em meio a grandes expectativas, uma vez que sustenta a possibilidade de permitir um avanço na solução da situação de 45 reféns "passíveis de troca" em poder da guerrilha colombiana, entre eles a ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt, que também tem nacionalidade francesa.   Encontro cancelado   O chefe do Estado venezuelano cancelou um encontro previsto com empresários franceses no início do dia, a fim de tratar sobre gestões de urgência destinadas a favorecer a troca humanitária de reféns por guerrilheiros presos.   O ministro de Exteriores venezuelano, Nicolás Maduro, disse que a ausência de Chávez era porque no mesmo momento o líder estava tendo contatos com "governos e líderes amigos", para buscar soluções a favor da troca de reféns.   Os parentes de Betancourt foram ao Palácio do Eliseu ao final do almoço entre os dois presidentes para se reunir com ambos, informou o Comitê de apoio a Ingrid Betancourt.

Tudo o que sabemos sobre:
ColômbiaHugo ChávezFarc

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.