Companhia venezuelana suspende voo para revisão após acidente

A companhia aérea estatal venezuelana Conviasa anunciou nesta sexta-feira que suspendeu seus voos por duas semanas para revisar seus procedimentos internos, em razão do desastre que deixou 17 mortos no começo da semana.

REUTERS

17 de setembro de 2010 | 10h30

Em seis anos de operações, o acidente foi o primeiro de um avião da Conviasa e suas causas ainda são desconhecidas.

"Em virtude dos fatos ocorridos nos últimos dias (...), a Conviasa decidiu suspender temporariamente suas atividades comerciais", afirmou um comunicado da empresa.

A suspensão irá até 1o de outubro "com o objetivo de realizar uma ampla auditoria técnica e avaliar os protocolos e procedimentos de uso", diz o comunicado.

O avião acidentado, um ATR 42 que havia decolado da ilha turística de Margarida, caiu na segunda-feira com 51 pessoas a bordo em um dos pátios da siderúrgica estatal Sidor, quando estava a cerca de 10 quilômetros do aeroporto internacional de Ciudad Guayana, no sudeste do pais.

Na quinta-feira, um avião da Conviasa com 97 passageiros a bordo, que cumpria uma rota local, fez uma aterrissagem de emergência. Um dia antes, outra aeronave da mesma companhia teve de regressar ao aeroporto após decolar por causa de fogo na cabine.

A Conviasa foi criada pelo presidente Hugo Chávez em 2004, com o objetivo de que a Venezuela voltasse a ter uma companhia aérea própria, já que a Viasa fora liquidada em 1997.

(Reportagem de Diego Oré)

Tudo o que sabemos sobre:
VENEZUELAAEROLINEACONVIASA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.