Comunidade internacional envia ajuda ao Haiti após terremoto

15 países, ONGs e organismos internacionais anunciam envio de auxílio humanitário após tremor de 7 graus

estadao.com.br,

13 de janeiro de 2010 | 08h53

 

PORTO PRÍNCIPE - Ao menos 15 países das três Américas e da Europa e quatro organizações internacionais se comprometeram a enviar ajuda humanitária para amenizar os estragos causados pelo terremoto de 7 graus na escala Richter que atingiu o Haiti na noite de terça-feira, 12. A extensão dos estragos e o número de mortos causados pelo tremor ainda é desconhecida. 

Veja também:

linkCruz Vermelha: até 3 milhões foram afetados por tremor

linkBrasil envia US$ 10 milhões em ajuda; Jobim vai ao Haiti

linkZilda Arns e quatro militares brasileiros morrem em terremoto

 

As tropas brasileiras das Forças de Paz da ONU no Haiti (Minustah) estão procurando sobreviventes do terremoto. EUA, Canadá, México, Nicarágua, Honduras, Venezuela, Colômbia, Panamá e Honduras já anunciaram que pretendem enviar ajuda.

Além deles, França, Reino Unido, Alemanha, Espanha e Suíça, e organizações como as Nações Unidas, a  Cruz Vermelha , o Banco Interamericano de Desenvolvimento, o Programa Mundial de Alimentos da ONU e a ONG contra a Fome Oxfam também se comprometeram a colaborar com auxílio material e financeiro para o país centro-americano.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, afirmou hoje que a organização deve doar US$ 10 milhões de dólares para o Haiti. A Cruz Vermelha dos EUA prometeu uma ajuda inicial de  US$ 200 mil para as comunidades afetadas pelo tremor. "As informações iniciais indicam que há grandes danos em Porto Príncipe, e terão que ser cobertas necessidades imediatas de alimentos, água, refúgios temporários, atendimento médico e apoio emocional", afirmou a diretora da equipe de resposta a desastres internacionais para a Cruz Vermelha dos EUA, Tracy Reines.

A organização já organizou o envio de ajuda a partir de suas instalações no Panamá, e poderia cobrir as necessidades básicas de aproximadamente 5.000 famílias. O Programa Mundial de Alimentos da ONU enviará dois aviões diários com víveres para os afetados pelo tremor.

O Banco Interamericano de Desenvolvimento anunciou uma doação de emergência de 200 mil dólares para compra de alimentos, água, remédios para as vítimas. A ONG Oxfam Internacional indicou que os danos causados pelo terremoto ocorrido no Haiti podem ser muito grandes, enquanto descreveu como "caótica" a situação da ilha caribenha, segundo testemunhos de seu pessoal nesse país.  

 

VEJA TAMBÉM:
especial Os piores terremotos na América Latina
especial Os piores terremotos da década
blog Blog: repercussão da tragédia na web
som Representante da OEA fala do tremor
som Sismólogo alerta para novos tremores
lista Leia tudo que já foi publicado

"A Oxfam tem sua equipe de resposta a emergências no Haiti, com equipamentos de saúde pública e saneamento e água em Porto Príncipe preparados para ajudar. Também dispomos no Panamá de assistência para enviar assim que for possível", acrescentou Jane Cocking, membro da direção da organização.

 

Dois aviões franceses devem chegar hoje ao Haiti com equipe de militares e de pessoal da segurança civil, cães farejadores e médicos, além de ajuda humanitária e pessoal. No total, a segurança civil francesa espera que 130 agentes estejam no Haiti nas próximas 24 horas. Mais de 1,4 mil franceses vivem no Haiti. A Espanha também enviou três aviões.

 

Nos EUA, o presidente Barack Obama ordenou o envio de 48 toneladas de material de ajuda e disse que o governo americano está monitorando a situação de perto para ajudar o povo haitiano. A USAID anunciou o envio de uma primeira equipe de 72 pessoas com bombeiros, paramédicos, e engenheiros.

A Alemanha mobilizou uma ajuda de um milhão de euros para as vítimas do terremoto. Segundo o ministério das Relações Exteriores, um gabinete de crise foi criado para avaliar as necessidades e medidas suplementares.

A Venezuela enviou ontem ao Haiti uma equipe de 50 especialista para ajudar nos trabalhos de resgate.

 

Com informações da AP, Reuters e Efe

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
terremoto no Haitiajuda humanitária

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.