Constituinte boliviana aprova mudança para região cocaleira

Assembléia inicia atividades para aprovar mudanças na Constituição em região pró-Evo a partir do dia 12

Efe,

06 de dezembro de 2007 | 13h20

A direção da Assembléia Constituinte da Bolívia aprovou a transferência de suas sessões para a região cocaleira de Chapare, reduto do presidente Evo Morales, segundo informações de fontes do governo.  Veja também:Evo propõe referendo popular sobre mandatosTensão na América do Sul   O membro da assembléia Carlos Romero, do governista Movimento Ao Socialismo (MAS), confirmou que as sessões serão retomadas na próxima quarta-feira na localidade de Lauka, na região central de Cochabamba, para discutir separadamente cada artigo aprovado no texto geral da Constituição de Evo antes do dia 14 de dezembro, quando termina o prazo para a entrega da nova Carta, que ainda passará por um referendo. Romero disse que a direção aprovou a mudança em reunião realizada na noite de quarta-feira na cidade de La Paz e que serão convocadas à sessão a ser instalada em Lauka "todas as forças políticas". Em 24 de novembro, o MAS e seus aliados aprovaram em primeira instância o projeto de nova Constituição em um colégio militar de Sucre, sem representantes da oposição e em meio a distúrbios que deixaram três mortos e 300 feridos. Na semana passada, parlamentares governistas reformaram a lei de convocação da Constituinte para que pudesse transferir suas sessões de Sucre para qualquer outra cidade, em uma sessão que aconteceu enquanto grupos de camponeses e indígenas ligados ao governo impediam que os opositores entrassem no Congresso. O membro da assembléia José Antonio Aruquipa, da aliança conservadora Poder Democrático e Social (Podemos), já alertou na quarta-feira que, se forem instaladas as sessões do fórum em Chapare, a Constituição será aprovada entre "machadadas".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.