Constituinte do Equador escolhe Comissão de transição

A escolha levou em conta a proporção da representação partidária na Constituinte

EFE

25 de outubro de 2008 | 04h23

A Assembléia Constituinte do Equador escolheu nesta sexta-feira, entre seus 130 membros, os 76 integrantes da Comissão Legislativa que fará as vezes de Parlamento no processo de transição para a plena aplicação da nova Constituição, aprovada no referendo de 28 de setembro. A Comissão Legislativa terá 46 legisladores do movimento governista Acordo País (AP), 10 do opositor Partido Sociedade Patriótica (PSP) e os 20 restantes serão de legendas minoritárias. A escolha levou em conta a proporção da representação partidária na Constituinte, que foi dominada pelo AP, com quase 80 cadeiras. Além disso, a Constituinte designou os cinco principais membros do Conselho Nacional Eleitoral (CNE): o sociólogo Omar Simón, a dirigente camponesa Manuela Cobacango, o docente Fausto Camacho, a advogada Marcia Caicedo e o economista Carlos Cortez. Também elegeu os advogados Alejandra Cantos, Jorge Yánez, Ximena Endara, Arturo Donoso e Tania Arias como principais membros do Tribunal Contencioso Eleitoral (TCE).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.