Cônsul do Haiti em São Paulo pede desculpas por comentários

Em entrevista ao SBT, diplomata disse que 'desgraça' no país estaria sendo 'uma boa' para se tornar conhecido

Priscila Trindade e Ricardo Valota, da Central de Notícias,

15 de janeiro de 2010 | 20h23

O cônsul-geral do Haiti em São Paulo, George Antoine, pediu desculpas nesta sexta-feira, 15, pelas frases ditas antes de realizar uma entrevista para o SBT na quinta-feira. Na ocasião, o diplomata falaria sobre o terremoto que devastou o país.

 

Em nota divulgada, o consulado justifica as frases de Antoine em razão "da dificuldade do Sr. cônsul na utilização da língua portuguesa" e que "teve seus dizeres interpretados de maneira deturpada".

 

Ainda segundo a nota, Antoine nega que seu comentário tenha tido caráter racista. "[O cônsul] esclarece, que em nenhuma oportunidade tomou atitude racista, tendo se expressado, tão somente, que os povos de origem africana são sofredores em várias regiões do mundo", diz a nota.

 

Com microfone de lapela e aparentemente sem saber que o áudio já estava sendo gravado, Antoine disse que o terremoto estaria fazendo bem aos funcionários do consulado no Brasil. "A desgraça de lá (Haiti) está sendo uma boa para a gente aqui ficar conhecido (...) Aquele povo africano acho que de tanto mexer com macumba, não sei o que á aquilo (...) O africano em si tem maldição. Todo lugar em que tem africano tá f..." foram as palavras do cônsul registradas pelo microfone.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.