Consulado da Venezuela em Bogotá é acusado de adiar vistos

Vistos solicitados por 300 colombianos sofrem atrasos, sob a alegação de que falta material de papelaria

Efe

13 de dezembro de 2007 | 03h17

O escritório do Consulado da Venezuela em Bogotá foi acusado de adiar a entrega das permissões, com a alegação de falta de material de papelaria.   Cerca de 300 colombianos que solicitaram vistos de turismo no Consulado da Venezuela em Bogotá, para viajar no fim de ano, acusaram na quarta-feira, 12, o escritório de adiar a entrega das permissões, com a alegação de falta de material de papelaria.   Os usuários do serviço consular explicaram aos jornalistas que, quando se aproximaram do escritório para recolher seus passaportes, foram informados de que os vistos estavam adiados até janeiro, porque não havia adesivos para colar as permissões nos passaportes.   Colômbia e Venezuela vivem uma crise diplomática desde o fim de novembro. A causa foi o cancelamento da mediação das negociações com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) pelo presidente colombiano, Álvaro Uribe. Quem estava tentando libertar os reféns era o seu colega venezuelano, Hugo Chávez.   "Disseram que era por falta de material de papelaria", declarou à rádio RCN Marta Hernández, uma das afetadas pelo adiamento. O consulado da Venezuela em Bogotá justificou que a expedição de vistos não está suspensa. E insistiu que o problema foi causado pelo alto número de solicitações.

Tudo o que sabemos sobre:
ColômbiaVenezuelavistos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.