Juan Karita/AP
Juan Karita/AP

Contagem oficial confirma vitória de partido de Evo em eleições regionais

Seis dos nove departamentos ficam sob poder do MAS; oposição vence nas principais cidades

Efe e Reuters

08 de abril de 2010 | 16h24

LA PAZ - A contagem oficial das eleições regionais do domingo realizadas na Bolívia divulgada nesta quinta-feira, 8, confirma a vitória do Movimento ao Socialismo (MAS), partido do presidente Evo Morales, na maioria dos governos regionais, enquanto a oposição se saiu melhor nas prefeituras.

 

As cifras divulgadas pelas autoridades eleitorais, embora algumas delas incompletas, mostravam o MAS como vencedor em pelo menos seis de nove departamentos (Estados), seguindo a tendência das pesquisas mostradas em canais privados de televisão. Os números, porém, mostram que os partidos oposicionistas de direita e do centro venceram em ao menos sete das dez principais cidades bolivianas.

 

Com diferentes porcentagens, os candidatos do MAS saíram como vitoriosos em Chuquisaca, La Paz, Cochabamba, Oruro, Potosí e Pando. Já a oposição triunfou em Santa Cruz, Tarija e Beni. Entre as prefeituras, os partidários de Evo conseguiram três das dez principais cidades bolivianas, enquanto os opositores conquistaram a vitória nas outras sete.

 

Segundo analistas, o novo quadro político regional na Bolívia pode ter repercussões a longo prazo, mas não afetarão os planos imediatos de Evo Morales. O partido do presidente controla mais de dois terços da Assembleia Legislativa Plurinacional e por isso pode impulsionar suas políticas indígenas e socialistas para os próximos cinco anos de mandato.

 

O alcance da vitória dos governistas nas eleições regionais se evidenciou quando a Corte Departamental Eleitoral (CDE) de Pando anunciou a vitória de Luis Adolfo Flores, do MAS, por uma pequena margem sobre o rival. O distrito é tradicionalmente controlado pelo partido conservador, mas o partido de Evo Morales saiu vitorioso desta vez.

 

As autoridades de Pando ordenaram a recontagem em cinco mesas de votação, mas o presidente da CDE, Gonzalo Vargas, disse a rádios nacionais que "esse processo não vai incidir nos resultados".

 

Com Pando, as pesquisas comprovaram suas projeções em oito departamentos. As dúvidas persistem somente no distrito amazônico de Beni, onde a contagem oficial está paralisada desde a terça-feira por conta de denúncias de fraude a favor do candidato conservador ao governo, Ernesto Suarez, que tentava a reeleição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.