Nilton Fukuda/AE
Nilton Fukuda/AE

Corpo de Zilda Arns chega hoje ao Brasil em avião da FAB

Fundadora da Pastoral da Criança é uma das vítimas do tremor de 7 graus na escala Richter que atingiu o Haiti

estadao.com.br,

14 de janeiro de 2010 | 08h32

O corpo da coordenadora da Pastoral da Criança, Zilda Arns, já está na base do Exército Brasileiro do Haiti e será levado para o Brasil em avião da Força Aérea Brasileira ainda nesta quinta-feira, 14, informou do país caribenho senador Flávio Arns (PT-PR), sobrinho da Fundadora da Pastoral da Criança. O parlamentar acompanhou a missão brasileira destinada a levar ajuda humanitária a Porto Príncipe, capital do Haiti.

Veja também:

linkAjuda humanitária começa a chegar

linkHaitianos passam noite entre corpos

linkBrasil e EUA pedirão mais doações ao Haiti

linkBrasil perde uma expressiva figura, diz Temer

linkPerfil: Zilda e o soro caseiro que salvou milares

video Dra. Zilda Arns: vida dedicada às crianças

 

Segundo o senador, a liberação e transferência do corpo de Zilda para o Brasil depende de um documento, que está sendo providenciado pela família

 

Já os corpos dos 14 militares mortos no terremoto permanecem em Porto Príncipe até que sejam realizadas as necrópsias que precisam ser feitas pela Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti (Minustah), para que as famílias tenham direito a indenização.

Zilda Arns foi atingida pelo desabamento de uma escola, na qual fazia palestra para padres e seminaristas. Segundo o único sacerdote que estava com ela que sobreviveu, o teto do local a atingiu diretamente na cabeça, causando morte instantânea. O corpo de Zilda não ficou soterrado e não foi atingido em outros locais.

 

O Haiti seria o 11º país a receber a Pastoral da Criança e os padres e seminaristas que participavam da palestra tinham a intenção de abrir suas igrejas para receber o trabalho. De acordo com a embaixatriz brasileira no Haiti, Roseana Kipman, os padres que estavam na palestra também foram soterrados.

VEJA TAMBÉM:
\"especial\" Tragédia e destruição no Haiti
\"especial\" Os piores terremotos na América Latina
\"especial\" Os piores terremotos da década
blog Blog: repercussão em tempo real
blog População do Haiti se comunica com mundo via Web
\"som\" Representante da OEA fala do tremor
\"mais A tragédia em imagens
\"lista\" Leia tudo que já foi publicado

Irmã do cardeal-arcebispo de São Paulo, Dom Paulo Evaristo Arns, Zilda estava no Haiti como parte de uma série de visitas a países da região.

Ao saber na noticia, Dom Paulo Evaristo rezou a missa pelas vítimas do Haiti e afirmou que "ela morreu de uma maneira muito bonita, morreu na causa que sempre acreditou."

O velório e enterro de Zilda ocorrerão em Curitiba, onde moram seus quatro filhos Heloisa, Nelson, Rogério e Rubens. Dom Paulo Evaristo já notificou que não poderá comparecer e que enviará Dom Pedro Stringhini, bispo de Franca, em seu lugar.

O governo do Estado do Paraná decretou luto oficial de três dias pela morte da missionária, que vivia em Curitiba há décadas.

Médica pediatra e sanitarista, de 75 anos, Zilda foi fundadora da Pastoral Da Criança e da Pastoral da Pessoa Idosa. Presente em todos os estados do Brasil e em mais 20 países, a Pastoral da Criança tem mais de 240 mil voluntários capacitados atuando em 40.853 mil comunidades em 4.016 municípios. Acompanha quase 95 mil gestantes e mais de 1, 6 milhão de crianças pobres menores de seis anos.

 

 

 

Com informações da Agência Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.