Correa pede a Grupo do Rio que condene a Colômbia

O presidente do Equador, Rafael Correa,pediu nesta quinta-feira ao Grupo do Rio que condene a Colômbiapelo que classificou de "invasão" a seu território,referindo-se a uma incursão militar do país vizinho dentro deterritório equatoriano, que resultou na morte de um líderguerrilheiro. "Temos que tomar decisões amanhã em Santo Domingo: condenarclaramente a agressão colombiana ao Equador e obrigar essegoverno a nunca mais se atrever a agredir um país irmão", disseCorrea, em Nicarágua, junto ao presidente Daniel Ortega. A 10a Cúpula do Grupo do Rio será realizada nestasexta-feira em Santo Domingo, onde se espera um diálogo entrepaíses-membros para pôr fim às tensões do conflito diplomático,que também inclui a Venezuela. Na quarta-feira, a Organização dos Estados Americanos (OEA)rechaçou, mas não condenou, a incursão militar colombiana, comoqueria o Equador. O ataque resultou na morte do segundo homemno comando do grupo guerrilheiro Forças Armadas Revolucionáriasda Colômbia (Farc), conhecido como Raúl Reyes, e outros 23rebeldes. "É hora de tomar decisões. Tomara que todos tenhamosconsciência, irmãos da América Latina, de que isto não é umproblema bilateral entre Colômbia e Equador", disse Correa,referindo-se à Cúpula do Grupo do Rio. Na disputa diplomática entrou a Venezuela, cujo presidente,Hugo Chávez, expressou apoio aberto a Correa e reforçou apresença militar na fronteira com a Colômbia, além de retirartodo o pessoal de sua embaixada em Bogotá e expulsar a missãodiplomática colombiana de Caracas. O Equador também enviou tropas à fronteira e expulsou oembaixador colombiano. Na cúpula Correa e Chávez se encontrarão cara a cara com opresidente da Colômbia, Álvaro Uribe. Correa pediu que a OEA condene a Colômbia em uma reunião dechanceleres convocada para 17 de março. "Se não (condena), a OEA terá de ser colocada na lata delixo da história", disse ele. O Grupo do Rio é integrado pela Argentina, Belize, Bolívia,Brasil, Colômbia, Chile, Costa Rica, Equador, El Salvador,Guatemala, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru,República Dominicana, Uruguai e Venezuela. (Reportagem de Iván Castro)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.