CORREÇÃO-Negociação com Farc é uma 'bênção' para Chávez

A proposta de envolver o presidenteHugo Chávez na negociação com as Farc para a libertação dereféns foi uma "bênção de Deus" para o governante venezuelanoporque ele ganhou a chance de aparecer onde antes não tinhapermissão, disse nesta quinta-feira o ministro da Defesa daColômbia. Juan Manuel Santos, crítico ferrenho da Venezuela, afirmouque o presidente colombiano, Alvaro Uribe, faria o que fossenecessário para tentar libertar os reféns que estão nas mãos daguerrilha, entre eles três norte-americanos, uma ex-candidata àPresidência da Colômbia e vários políticos. "(Uribe) aceitou seus mais beligerantes opositores,incluindo a senadora Piedad Córdoba, para ser umafacilitadora", disse Santos num evento em Washington. A participação de Córdoba garantiu a ela "um tremendocenário e ela foi falar imediatamente com o presidente Chávez,o que foi uma bênção de Deus porque agora ele pôde usar issopara entrar em áreas onde antes não era permitido",acrescentou. Santos acredita que Chávez buscará "internacionalizar" suafunção como mediador e disse que o venezuelano, crítico daspolíticas dos Estados Unidos, chegou a sugerir que seria maisfácil deixar os norte-americanos sequestrados fora danegociação, algo que o governo colombiano rejeitou. (Por Adriana Garcia)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.