Criação de canais anti-Chávez é negada na Venezuela

Os dois pertenciam a 1BC, empresa proprietária da RCTV, que também foi fechada pelo governo

AP

06 de março de 2010 | 03h47

A intenção de uma empresa em lançar dois canais a cabo que se esperava ser crítico ao governo venezuelano de Hugo Chávez foi rejeitado nesta sexta-feira, 5, segundo anunciou a agência de telecomunicações da Venezuela.

 

A agência disse as empresas 1BC não conseguiram cumprir o prazo para registrar um novo canal, a RCTV Internacional, e sua petição para transmitir o segundo, a RCTV Mundo, não cumpria a regulamentação de programação.

 

As empresas 1BC era o proprietário da Radio Caracas Televisión, conhecida como RCTV, que teve a regulamentação caçada em janeiro, e provocou protestos generalizados e confrontos entre partidários de Chávez e populares que apoiavam a RCTV.

 

De acordo com a agência venezuelana, a RCTV desafiou as novas regras de telecomunicações locais, que exigem dentre outras coisas a transmissão de alguns discursos do presidente venezuelano.

 

Marcel Granier, presidente das empresas 1BC, acusou a agência de indeferir os pedidos sob as ordens de Chávez. Segundo ele, o governo não quer que os canais existam pois eles seguiriam a linha editorial crítica da RCTV.

Tudo o que sabemos sobre:
ChávezVenezuelaRCTV

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.