Cristina aceita renúncia do chefe de gabinete argentino

Alberto Fernández teria saído para abrir incentivar minirreforma ministerial após crise com ruralistas

Marina Guimarães, da Agência Estado, e Efe,

23 de julho de 2008 | 14h26

A presidente argentina, Cristina Kirchner, aceitou nesta quarta-feira, 23, a renúncia de seu chefe de Gabinete, Alberto Fernández, segundo informou a agência oficial argentina Télam. O substituto no cargo, equivalente ao de ministro-chefe da Casa Civil no Brasil, será Sérgio Massa, atual prefeito do município do Tigre, na província de Buenos Aires. Massa substituirá Alberto Fernández, que esteve no governo durante cinco anos. Sua saída, no entanto, ainda não foi comunicada oficialmente pelo governo. Os boatos de renúncia de Fernández começaram na segunda-feira e foram intensificados nesta manhã. Nos últimos dias, a imprensa local especulou com sua possível saída do Gabinete por iniciativa própria para impulsionar uma minirreforma ministerial, favorecerendo a saída dos funcionários mais desgastados durante a crise do governo com o setor agropecuário. A presidente atravessa os momentos mais negativos de seus sete meses de gestão após a derrota política sofrida na última semana no Senado, que vetou um aumento de impostos agrários com o voto decisivo do vice-presidente do país, Julio Cobos. O veto parlamentar à medida disposta pelo governo em março também levou à renúncia do secretário de Agricultura, Pecuária, Pesca e Alimentação, Javier de Urquiza, que nesta quarta foi substituído por Carlos Cheppi, atual titular do Instituto Nacional de Tecnologia Agropecuária. A intenção de Fernández é que o acompanhem em sua renúncia o secretário de Comércio Exterior, Guillermo Moreno, e o ministro de Planejamento, Julio de Vido, este com quem Fernández manteve estes anos todos fortes divergências.

Tudo o que sabemos sobre:
Argentina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.