Cristina Kirchner nega caudilhismo e vê em Lula a cara do Brasil

Para ela, a América Latina caminha lentamente a uma identidade entre seus governantes e suas sociedades

Entrevista com

Efe,

03 de agosto de 2007 | 02h20

A primeira-dama e candidata presidencial argentina, Cristina Fernández de Kirchner, negou que a América Latina esteja a caminho de uma era de caudilhos, porque os atuais governantes chegaram ao poder através de eleições democráticas e representam bem os seus países. "Nunca os governantes na América Latina se pareceram tanto com os seus governados", disse Fernández à rede CNN em espanhol. Na quinta-feira, a emissora transmitiu a segunda parte de uma entrevista gravada no México. Ela acompanhou o seu marido, o presidente Néstor Kirchner, numa visita de três dias, que terminou na quarta-feira. "Se você olha para Lula, vê um brasileiro; se vê Evo Morales, está vendo milhões de bolivianos; e se vê Chávez, ele é elegante como todos os venezuelanos", disse. "Néstor Kirchner também é um presidente que se parece com a República Argentina, um país muito característico na América Latina por causa da sua classe média. Michelle Bachelet é o Chile, e Tabaré Vázquez é como os uruguaios", acrescentou. Por isso, opinou, a região, através de processos eleitorais livres, populares e democráticos, vai se encaminhando lentamente a uma identidade entre seus governantes e suas sociedades. A entrevistadora, Carmen Aristegui, perguntou se lideranças tão fortes poderiam levar a região ao caudilhismo, apontando Chávez como "o protótipo para falar disso". A candidata presidencial argentina rejeitou a análise e disse que Chávez chegou ao poder num processo democrático, com observadores internacionais. O mesmo aconteceu no Brasil, na Argentina e na Bolívia, ressaltou. Quando a entrevistadora perguntou se o caminho na América Latina é o socialismo, ela respondeu que "não há homogeneidade" na região e que o melhor dela é a diversidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.