Cristina Kirchner nega que tenha ido fazer compras em Roma

A presidente da Argentina,Cristina Kirchner, negou na sexta-feira que tenha usado umaviagem para passear nas elegantes joalherias e lojas de roupasde cama em Roma, conforme publicou um jornal italiano. O Corriere della Sera disse que, enquanto esteve em Romanesta semana para participar da cúpula das Nações Unidas sobrea fome mundial, a presidente comprou jóias e um jogo de lençóisde 1.000 euros. "Não é prática do governo argentino polemizar a respeito deartigos dessa natureza. Entretanto, levando em conta [...] amanifesta malícia que reflete, nos sentimos obrigados aformular o mais enérgico desmentido do que se afirma em talnota", disse a Presidência argentina em carta ao diretor dojornal. "O passeio de compras jamais existiu. Os registros oficiaisde protocolo e segurança italianos que acompanharam apresidente argentina em todos os seus deslocamentos por Romaestão ali para demonstrar a absoluta falsidade do publicadopelo diário." O artigo cita funcionários não-identificados das lojassupostamente visitadas por Cristina. A Casa Rosada disse que advogados que representam aArgentina na Itália enviaram intimações às lojas citadas nareportagem para que os empregados desmintam as declarações.Exigem também um desmentido e um pedido de desculpas por partedo jornal. Durante o governo de Néstor Kirchner, Cristina, entãoprimeira-dama, foi acusada de realizar compras caras duranteviagens oficiais ao exterior. (Reportagem de César Illiano)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.