Cristina Kirchner pede diálogo com Grã-Bretanha sobre Malvinas

A presidente argentina, Cristina Kirchner, fez um pedido de conversações com a Grã-Bretanha sobre as disputadas ilhas Malvinas em uma carta aberta ao primeiro-ministro britânico, David Cameron, publicada na quinta-feira em jornais britânicos.

Reuters

03 de janeiro de 2013 | 08h05

Argentina e Grã-Bretanha se enfrentaram em uma guerra de dez semanas em 1982 pelo domínio das ilhas remotas do Atlântico Sul, que formam parte dos territórios autônomos de ultramar da Grã-Bretanha.

A presidente argentina marcou o trigésimo aniversário do conflito com uma campanha diplomática para fazer valer a soberania de seu país.

A causa das Malvinas tem um apelo popular na Argentina, mas as investidas também têm sido reforçadas devido à exploração de petróleo em águas próximas às ilhas.

Na carta aberta, Cristina acusou a Grã-Bretanha de violar as resoluções da ONU que instam ambos países a negociar uma solução para a disputa pelas Malvinas.

"A questão das Ilhas Malvinas é também uma causa abraçada pela América Latina e pela grande maioria dos povos e governos de todo o mundo que rejeitam o colonialismo", escreveu a presidente argentina.

O Ministério de Relações Exteriores britânico rejeitou o apelo argentino de negociações.

(Reportagem de Estelle Shirbon)

Tudo o que sabemos sobre:
ARGENTINAMALVINAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.