CELSO JUNIOR/AE
CELSO JUNIOR/AE

Cristina Kirchner tentará reeleição, diz chanceler

Ministro diz que presidente 'é uma líder política por direito próprio' e sairá vencedora em 2011

Efe,

29 de outubro de 2010 | 04h31

BUENOS AIRES - O ministro de Exteriores da Argentina, Héctor Timerman, afirmou na quinta-feira, 28, que a presidente do país, Cristina Kirchner, tentará se reeleger, apesar de estar bastante abalada com a morte de seu marido e ex-mandatário Néstor Kirchner.

 

Veja também:

video Vídeo: Ariel Palácios comenta morte de Kirchner

lista Análise: Sucessão de Cristina se torna imprevisível

especialEspecial: A trajetória política do ex-presidente

mais imagens Galeria de fotos: Argentina em luto

lista Perfil: de líder estudantil à presidência da Argentina

 

"Nós dizíamos que (o candidato) podia ser pinguim ou 'pingüina' (pinguim fêmea em espanhol), que podia ser ele ou ela. Agora certamente será ela", disse Timerman em declarações à emissora CNN.

 

"Cristina será candidata dos argentinos e será a vencedora das eleições, não tenho nenhuma dúvida", ressaltou o chanceler, que reconheceu, no entanto, que nada ainda está decidido. "É algo que ela tem de decidir, mas sabe que tem meu apoio". Segundo Timerman, Cristina "é uma líder política por direito próprio". "Não é a viúva que herda, é a condutora do governo porque assim foi escolhida".

 

As declarações do chanceler contrastam com a prudência mantida nas últimas horas pelos membros do governo argentino e dirigentes do Partido Justicialista (peronista) sobre o futuro político e as opções eleitorais de Cristina após a morte do marido.

 

Néstor, líder e deputado de seu partido e secretário-geral da União das Nações Sul-Americanas (Unasul), era tido como um provável candidato à presidência. Ele era considerado a verdadeira força política por trás do governo de sua esposa.

 

O peronista, de 60 anos, morreu na quarta-feira, vítima de um enfarte na cidade de El Calafate. Ele será enterrado nesta sexta-feira, 29, em sua cidade natal, Río Gallegos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.