Cristina perde popularidade após conflito com agricultores

Vaidade também causa polêmica; críticos dizem que ela passa muito tempo diante do guarda-roupa

Ariel Palacios, correspondente de O Estado de S. Paulo,

07 de abril de 2008 | 21h08

Abalada pela escalada da inflação, pelo crescimento da pobreza e pelo conflito com o setor agropecuário - além de escândalos de corrupção e suspeitas de enriquecimento ilícito -, a presidente argentina, Cristina Kirchner, está com a popularidade em queda. Segundo uma pesquisa da consultoria Graciela Römer e Associados, 38% dos argentinos a vêem hoje de forma positiva - em fevereiro, eram 46%. No mesmo período, a imagem negativa de Cristina subiu de 12% para 17%. Para 44%, a presidente tem um desempenho "regular" (avaliação que era de 36% em fevereiro).   Também causa polêmica a vaidade de Cristina. Críticos dizem que ela passa mais tempo diante do guarda-roupa do que governando. A preocupação de Cristina pelo figurino ficou evidente nesta segunda-feira, 7, no segundo dia de visita a Paris, onde ela se reuniu com o presidente Nicolas Sarkozy. Cristina foi a cada evento ontem com diferentes roupas. Segundo o jornal Crítica, a viagem de dois dias custou ao Estado argentino US$ 300 mil.   Leia a reportagem completa na editoria de Internacional de O Estado de S. Paulo desta terça, 8.

Tudo o que sabemos sobre:
ArgentinaCristina Kirchner

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.