Cristina promete guerra política e diplomática 'eterna' pelas Malvinas

Presidente da Argentina volta a reacende debate com Reino Unido sobre soberania do arquipélago

estadão.com.br

30 de março de 2010 | 14h54

BUENOS AIRES - A Argentina travará uma "batalha eterna" nos âmbitos diplomático, político e cultural para recuperar a soberania sobre as Ilhas Malvinas, disse nesta terça-feira, 30, a presidente Cristina Kirchner, segundo informações da agência de notícias AFP.

 

Segundo a mandatária, ocorrerá "uma luta eterna, cultural, diplomática e política em todas as frentes e com todos os instrumentos do direito internacional em defesa do patrimônio" das Malvinas. No dia 2 de abril, completam-se 28 anos desde o início da guerra entre Argentina e Reino Unido pela soberania do arquipélago, chamado de Ilhas Falkland pelos britânicos.

 

Cristina, que passou semanas discutindo com as autoridades britânicas sobre a soberania do arquipélago no início do ano, voltou a criticar o Reino Unido. "É inexplicável pretender a soberania de um lugar a 14 mil quilômetros de distância. Isso é colonialismo", disse a mandatária.

 

As tensões sobre o arquipélago começaram quando o Reino Unido autorizou a extração de petróleo para uma empresa britânica nas Malvinas. Em 1982, os países entraram em conflito pela soberania das Ilhas e mais de 900 pessoas morreram, sendo dois terços das vítimas provenientes da Argentina.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.