Cronologia do seqüestro de Ingrid Betancourt

Ex-refém franco-colombiana ficou seis anos em poder das Farc na selva colombiana

Agência Estado e Associated Press,

02 de julho de 2008 | 23h35

A ex-candidata à presidência da Colômbia Ingrid Betancourt foi libertada nesta quarta-feira, 2, após seis anos em poder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). Veja a cronologia do seqüestro de Ingrid:   Veja também: O drama de Ingrid Por dentro das Farc  Histórico dos conflitos armados na região      - 2002: Ingrid Betancourt lança candidatura à presidência da Colômbia   - 23/2/2002: Ingrid Betancourt é seqüestrada pelas Farc. Clara Rojas, sua assessora de campanha, também é levada pela guerrilha   - 26/2/2002: Presidente venezuelano, Hugo Chávez, afirma que está "fazendo contatos" para conseguir a libertação de Ingrid.   - 24/7/2002: Primeira prova de vida de Ingrid é divulgada. No vídeo, ela culpa o governo do presidente Andrés Pastrana por seu seqüestro e exorta o futuro governo a insistir em uma saída negociada para o conflito armado.   - 7/8/2002: Álvaro Uribe toma posse como presidente da Colômbia.   - 5/5/2003: Tentativa de resgate militar acaba com a morte do governador de Antioquia, Guillermo Gaviria, do ex-ministro da Defesa Gilberto Echeverry e de outros oito militares - todos assassinados pelos rebeldes.   - 9/7/2003: Avião francês pousa em Manaus. Entre tripulantes estariam agentes do serviço secreto francês que participaram da tentativa sigilosa de resgatar Ingrid. A missão não só fracassou, como também arranhou as relações da França com a Colômbia e o Brasil, que não foram informados da missão.   - 29/9/2003: Farc divulgam vídeo no qual Ingrid pede ao governo uma operação militar de resgate.   - 18/8/2004: Uribe oferece libertar 50 rebeldes em troca de igual número de reféns em poder das Farc.   - 2006: Jornalista Jorge Enrique Botero revela em livro que Clara Rojas teve um filho no cativeiro.   - 27/9/2006: Uribe diz aceitar desmilitarizar uma área de 850 quilômetros quadrados no sudoeste do país para negociar um acordo humanitário com as Farc.   - 20/10/2006: Depois de atentado em Bogotá deixar 23 feridos, Uribe desiste de negociar com as Farc e ordena ao Exército que intensifique operações para resgatar reféns.   - 31/12/2006: Ex-ministro Fernando Araujo é o primeiro refém a escapar do cativeiro depois de seis anos seqüestrado.   - 14/1/2007: Ministro da Defesa, Juan Manuel Santos, afirma que Ingrid está "viva e bem."   - 16/5/2007: Policial John Frank Pinchao, refém há nove anos, escapa e revela que Ingrid tentou fugir cinco vezes.   - 4/6/2007: Uribe aceita pedido de presidente francês, Nicolas Sarkozy, e liberta o "chanceler" das Farc, Rodrigo Granda.   - 28/6/2007: Farc anunciam morte de 11 dos 12 deputados estaduais, reféns há cinco anos.   - 15/8/2007: Uribe nomeia a senadora Piedad Córdoba como mediadora.   - 26/8/2007: Farc aceitam Chávez como mediador do acordo humanitário.   - 20/11/2007: Em reunião com Sarkozy, Chávez afirma que Farc prometeram entregar em 40 dias prova de que Ingrid está viva.   - 22/11/2007: Colômbia põe fim à mediação de Chávez, acusando-o de imiscuir-se em assuntos internos.   - 30/11/2007: Bogotá apresenta novas provas de vida de reféns, entre elas de Ingrid.   - 10/1/2008: Farc libertam duas reféns, entre elas Clara Rojas.   - 27/2/2008: Guerrilha liberta mais quatro reféns; um deles, o ex-deputado Luis Eládio Pérez, diz que estado de saúde de Ingrid é crítico.   - 27/3/2008: Defensor público colombiano afirma que Ingrid tem hepatite B e leishmaniose, e foi atendida em posto de saúde no sudoeste do país.   - 30/3/2008: Governo francês disponibiliza avião com equipe médica para atender Ingrid.   - 31/3/2008: Moradores de El Retorno afirmam terem visto Ingrid na zona rural do município no dia 23. Rádio diz que refém precisa de transfusão de sangue com urgência.   - 2/07/2008: Ingrid Betancourt é resgatada com outros 14 reféns.

Tudo o que sabemos sobre:
Ingrid BetancourtColômbiaFarc

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.