Cruzeiro fica preso no litoral do México após incêndio

Sala de máquinas pegou fogo e navio ficou à deriva; embarcação deve ficar presa até amanhã

AP,

09 de novembro de 2010 | 20h23

Navio recebe suprimentos do barco Beauport

 

SAN DIEGO, EUA- Quase 4.500 passageiros e tripulantes que iniciavam um cruzeiro de sete dias na Riviera do México ficaram presos nesta terça-feira, 9, em frente ao litoral do país após um incêndio na sala de máquinas que deixou o navio à deriva.

 

Rebocadores se dirigiram ao local e um porta-aviões americano suspendeu suas manobras militares para prestar ajuda por meio de uma ponte aérea de suprimentos.

 

O Carnival Splendor, que transportava 3.299 turistas e 1.167 tripulantes, estava a cerca de 88,5 km da costa do estado mexicano da Baixa Califórnia quando o incêndio começou, às 6h da manhã de ontem, de acordo com comunicado da Carnival Cruise Lines, empresa com sede em Miami.

 

Ninguém ficou ferido pelo fogo, que foi controlado ao meio dia, mas a embarcação ficou à deriva, e teve de cancelar a viagem.

 

Monty Mathisen, da publicação Cruise Industries, com sede em Nova York, considerou que o incêndio foi um acidente incomum. "Este tipo de coisas não acontece (...), quero dizer, muito raramente".

 

Carnival Splendor durante sua primeira viagem no Canal da Mancha, em 2008

 

Espera-se que o navio fique preso no local até a noite de amanhã. Ele está fora de alcance dos sistemas de telefonia celular, o que impede que os ocupantes se comuniquem com parentes e amigos.

 

O barco de mais de 290 metros de comprimento conta com alimentação elétrica auxiliar, mas ela não funciona para ligar o ar-condicionado e os telefones.

 

Inicialmente foi pedido aos passageiros que abandonassem suas cabines e passassem ao piso superior do barco, mas depois foi permitido que voltassem a seus quartos. A linha de cruzeiros está providenciando água em garrafas e alimentos frios.

 

O Carnival Splendor partiu do porto de Long Beach no domingo. Espera-se que os rebocadores comecem o lento procedimento de levá-lo ao porto mexicano de Enseada, na Baixa Califórnia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.