Cuba aprova voos para mais nove cidades dos EUA

As viagens aéreas entre EUA e Cuba ficarão mais fáceis com a abertura de voos fretados de mais nove cidades norte-americanas para a ilha, graças a uma decisão anunciada na sexta-feira por autoridades cubanas.

REUTERS

29 de julho de 2011 | 19h13

A estatal cubana de turismo Havanatur Celimar disse ter incluído as cidades de Tampa, Fort Lauderdale, Baltimore, Chicago, Atlanta, Nova Orleans, Dallas, Houston e San Juan (Porto Rico) na lista de destinos autorizados para voos fretados.

Aproveitando um recente abrandamento nas restrições de viagens a Cuba por parte dos EUA, Havana se prepara para aumentar o fluxo de visitantes vindos do país vizinho -- seu tradicional inimigo ideológico.

Washington não permite voos comerciais regulares para a ilha, mas autorizou que cubano-americanos visitem sua nação de origem, e também que os norte-americanos em geral façam viagens com motivos religiosos, acadêmicos e para alguns outros fins.

A Havana Celimar detém o monopólio no lado cubano dos voos fretados para os EUA, e já recebe visitantes em aviões oriundos de Miami, Nova York e Los Angeles.

O número de cidadãos dos EUA em visita a Cuba cresceu 20 por cento no ano passado, chegando a 63 mil, segundo estatísticas cubanas. Além disso, 350 mil cubano-americanos estiveram na ilha em 2010, depois de o governo Obama suspender todas as restrições às suas viagens.

A liberalização das viagens desagradou parlamentares cubano-americanos, que apresentaram um projeto de lei recriando restrições impostas no governo de George W. Bush -- quando os cubano-americano só podiam visitar a ilha uma vez a cada três anos, e não havia exceções para a ida de norte-americanos de outras origens.

Esses parlamentares argumentam que o governo Obama está colaborando com o regime comunista cubano, enquanto a Casa Branca argumenta que a intensificação dos contatos interpessoais irá contribuir para a democratização do país. O presidente Barack Obama ameaça vetar qualquer lei que reverta suas medidas.

Cuba diz ter recebido 2,53 milhões de turistas em 2010, numa lista encabeçada por Canadá (945 mil), Grã-Bretanha (174 mil) e Itália (112 mil). O turismo é uma das principais atividades econômicas e do país, resultando em 2,2 bilhões de dólares e gerando muitos empregos.

(Reportagem de Marc Frank)

Tudo o que sabemos sobre:
CUBAVOOSEUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.