Cuba aumenta acesso ao crédito para impulsionar setor privado

A Cuba abrirá no próximo mês novas possibilidades de crédito e outros serviços bancários para incentivar as empresas privadas, dando continuidade às reformas empreendidas pelo presidente Raúl Castro para reviver a frágil economia socialista.

REUTERS

24 de novembro de 2011 | 13h55

O jornal oficial Granma, do Partido Comunista, disse nesta quinta-feira que as novas alternativas de empréstimos se destinam a aumentar a produção agrícola, o trabalho autônomo e a construção de moradias.

"As normas que regem a política de crédito e outros serviços bancários... entrarão em vigor em 20 de dezembro... e são destinadas principalmente a estimular a produção nacional que gera moeda ou que substitui as importações", relatou o Granma, citando um decreto publicado no Diário Oficial (www.gacetaoficial.cu).

Cuba arrendou terras ociosas para cerca de 150 mil agricultores ao longo dos últimos dois anos e desde outubro de 2010 concedeu licenças para realização de trabalho privado para cerca de 340 mil cubanos.

As novas opções de acesso ao crédito são o mais recente movimento do Executivo para abrir mais a economia doméstica dentro do plano de mais de 300 reformas aprovadas em abril durante um congresso do Partido Comunista.

(Reportagem de Nelson Acosta)

Tudo o que sabemos sobre:
CUBACREDITOMAIORACESSO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.