Cuba conclui manobras militares contra eventual invasão dos EUA

Cuba concluiu na sexta-feira umexercício militar de cinco dias que mobilizou pelotõesespeciais, infantaria, aviões e milícias para enfrentar umaeventual invasão norte-americana. As manobras ocorreram de segunda a sexta-feira nasmontanhas do Escambray, cerca de 350 quilômetros a leste deHavana. "O exercício Moncada 2007 prepara os habitantes dasmontanhas para causar um alto custo em baixas ao inimigo",disse o noticiário da TV estatal. As manobras aconteceram emregiões do centro e oeste de Cuba. No leste, foram adiadasdevido às chuvas das últimas semanas. A TV passou a semana mostrando tanques, baterias antiaérease tropas em ação. "Cada cubano (é) um bastião", foi a manchetedo Granma, órgão oficial do Partido Comunista, com uma foto desoldados com pintura camuflada emergindo entre arbustos,armados com fuzis AK-47 com silenciador. O maior inimigo de Cuba, os Estados Unidos, está a apenas150 km da ilha. Em outubro, o presidente George W. Bush disseque sua política linha-dura contra o regime comunista cubanonão visa à estabilidade, e sim à liberdade. Cuba aplica a doutrina militar conhecida como "guerra detodo o povo", inspirada na resistência do Vietnã contra osEstados Unidos. O general Raúl Castro, que assumiu o poder há 16 mesesdevido à enfermidade de seu irmão Fidel, disse que, se osEstados Unidos invadissem Cuba, encontrariam "um vespeiro". "Todo combatente, por difíceis que sejam as condições queenfrente na guerra, é seu próprio comandante-chefe", disse ojornal governamental Juventud Rebelde, aludindo ao cargo deFidel. "Vespas picam duramente o invasor", disse uma reportagem doJuventud Rebelde sobre as tropas especiais mobilizadas nasmanobras. (Por Rosa Tania Valdés)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.