Cuba condena salvadorenho por atentados dos anos 90

Após dois dias de julgamento, o salvadorenho Francisco Chávez Abarca foi condenado na quarta-feira pela Justiça cubana a 30 anos de prisão por seu envolvimento em atentados contra hotéis de Havana na década de 1990, segundo a imprensa estatal.

REUTERS

22 de dezembro de 2010 | 19h33

Durante o julgamento, dois centro-americanos relataram que foram recrutados por Chávez Abarca para ajudá-lo, segundo o Granma, jornal oficial do Partido Comunista.

Em declarações transmitidas previamente pela TV estatal, Chávez Abarca confessou ter cometido as explosões e disse que havia sido contratado pelo ex-agente da CIA Luis Posada Carriles, um cubano exilado.

Os atentados, que mataram um turista italiano, deveriam servir para afastar os visitantes da ilha e desestabilizar o governo local.

O salvadorenho foi extraditado para Cuba após ser preso em julho na Venezuela, onde era acusado de planejar ações violentas antes das eleições parlamentares locais.

(Reportagem de Jeff Franks)

Tudo o que sabemos sobre:
CUBASALVADORENHO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.