Cuba demitiu ministro por abusar de viagens ao exterior

Cuba demitiu o ministro da Educaçãoporque ele perdeu sua "consciência revolucionária", além deatribuir a si méritos coletivos e abusar de viagens para paísesestrangeiros, disse o ex-líder Fidel Castro em um textopublicado na quarta-feira na imprensa local. A substituição de Luis Ignacio Gómez foi anunciada naterça-feira pela imprensa oficial, sem mais explicações. Fidel Castro, doente e substituído em fevereiro por seuirmão Raúl, disse em uma artigo publicado no jornal Granma,publicação do Partido Comunista, que Gómez foi consultado eaprovou a destituição. "Tinha perdido a energia e a consciência revolucionária",disse o ex-presidente cubano. Fidel disse que o ex-ministro viajou ao exterior mais de 70vezes nos últimos 10 anos. "Durante os três últimos (anos), viajava uma vez por mês,sempre com o pretexto da cooperação internacional de Cuba",escreveu. Fidel Castro também criticou Gómez por atribuir a siméritos que, segundo o ex-presidente, eram coletivos. "Por este e outros motivos, não se tem confiança nele; maisclaro ainda: confiança nenhuma", acrescentou Fidel. A destituição de Gómez é a primeira mudança deste tipo nogoverno do presidente Raúl Castro.Gómes estava há quase 18 anos no cargo. Foi responsável peloprograma "Yo, sí puedo", método cubano que ensina pessoaspobres a ler e escrever e foi copiado em vários países. A nova ministra da Educação é Ana Elsa Velázquez, reitorado Instituto Superior Pedagógico Frank País, de Santiago deCuba, segundo nota oficial publicada na terça-feira no Granma.Ela é deputada do Parlamento (Assembléia Nacional). (Reportagem de Esteban Israel)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.