Cuba deportará 10 mulheres catalãs por se juntarem a protesto

Cuba vai deportar para a Espanha 10mulheres catalãs que participaram de um protesto pedindo pelalibertação de prisioneiros políticos no país, informou umdiplomata espanhol nesta segunda-feira. "O Ministério do Exterior cubano relatou que algumas irãohoje --as que tiverem passagens para hoje-- e outras sairãoassim que possível", disse o diplomata, falando sob condição deanonimato. As catalãs, incluindo a conselheira municipal de BarcelonaFrancina Vila, juntaram-se à marcha no domingo em Havanacomposta por mulheres parentes de prisioneiros políticoscubanos chamadas "Damas de Branco", por se vestirem de brancoandarem em silêncio exigindo a libertação dos presos. Elas estavam entre um grupo de 15 mulheres européias elatino-americanas, que entraram na marcha usando faixas quediziam "democracia" e "liberdade". Quando as mulheres voltaram para o hotel no qual estavam,foram paradas pela polícia cubana, que apreendeu seuspassaportes e passagens aéreas. Elas possuíam visto de turista. O governo insiste que turistas não devem se envolver emquestões internas de Cuba e, no passado, chegou a deportarvários estrangeiros que apoiaram dissidentes locais. As catalãs que serão deportadas são integrantes do partidocatalão Convergência Diplomática da Catalunha. As outras estrangeiras são da Suécia, Bósnia e Peru. Nãohavia informações imediatas se elas seriam ou não deportadas. Cuba insiste que não há prisioneiros políticos. (Por Anthony Boadle)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.