Cuba desloca 81 mil pessoas por causa de chuvas e inundações

Cuba retirou de suas casas cerca de 81mil pessoas ameaçadas pelas chuvas que atingem o leste da ilha,onde o transbordamento de rios danificou mais de 10 mil casas e6.500 quilômetros de estradas, disse a imprensa oficial naterça-feira. "O solo não agüenta mais", disse o jornal Juventud Rebelde,que publicou uma foto de equipes de resgate junto a um bote numparque da cidade de Bayamo, capital da província Granma, 733quilômetros a sudeste de Havana. "Numerosas perdas em habitações, vias e na economia. Granmaestá virtualmente paralisada", escreveu o jornal. As chuvas que atingem o leste de Cuba desde meados deoutubro se intensificaram no final do mês com a passagem datempestade tropical Noel. As autoridades não relataramacidentes nem vítimas. Cerca de 40 mil pessoas foram retiradas na provínciaGranma, além de outras 22 mil em Holguín, 12 mil em Las Tunas e7.000 em Guantánamo, segundo a imprensa estatal. As chuvas submergiram 7.000 casas em Granma, onde 62localidades estão isoladas. A água atingiu outras 2.500 casasem Las Tunas e 1.150 em Holguín. Na província de Santiago de Cuba, chuvas e inundaçõesdestruíram 4.000 quilômetros de estradas rurais, metade dototal na região. Outros 2.500 quilômetros foram afetados em LasTunas. Os rios, aumentados pelas chuvas que fizeram represastransbordar, destruíram pontes em várias províncias. Os cafezais de Santiago de Cuba, maior produtor da ilha,foram afetados, e a perda de 89 mil sacas "põe a presentecolheita em situação crítica", segundo o Juventud Rebelde. (Por Esteban Israel)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.