Cuba deve seguir pelo caminho da democracia, espera França

Fidel Castro anuncia renúncia à Presidência do país após quase 19 meses afastado do cargo

Efe,

19 de fevereiro de 2008 | 05h43

O secretário de Estado francês para Assuntos Europeus, Jean-Pierre Jouyet, disse nesta terça-feira, 19, após o anúncio da renúncia do líder cubano Fidel Castro, que "espera que o país siga pelo caminho da democracia".   Veja também: Fidel Castro renuncia à Presidência cubana    "Não podemos fazer mais do que desejar que esse país siga pelo caminho da democracia", declarou Jouyet, em entrevista à emissora de rádio francesa Europe 1.   Em uma primeira reação à informação de que Fidel Castro renunciou ao cargo de presidente do Conselho de Estado e comandante-em-chefe de Cuba, o secretário francês afirmou que "o castrismo foi um símbolo de totalitarismo".   Segundo Jouyet, Castro "não entendeu as evoluções do mundo nos anos 70 e 80". "Como também não entendeu a queda do Muro de Berlim e o desmoronamento da União Soviética", criticou.   Ainda assim, o secretário de Estado francês reservou alguns elogios ao líder cubano, ao afirmar que "garantiu uma certa independência frente à forte presença dos Estados Unidos na região".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.