Cuba inicia processo para cirurgias de troca de sexo

Cuba está prestes a realizar operaçõesgratuitas de troca de sexo a 28 transexuais, mas os detalhesestão sendo mantidos em segredo, disse a jornalistas MarielaCastro, filha do presidente Raúl Castro responsável peloprojeto. Em 1988, Cuba realizou uma operação de troca de sexo. Massegundo Mariela, diretora do Centro Nacional de EducaçãoSexual, a rejeição foi tão grande que o Ministério de SaúdePública cancelou um programa similar de cirurgias paratransexuais. "Estamos trabalhando com os (médicos) belgas na preparaçãodo pessoal médico e já estamos a ponto de firmar uma resoluçãodo Ministério da Saúde Pública que ajuda a implementação detodos esses processos", disse ela a jornalistas. A psicóloga não esclareceu quando começarão as cirurgias."É um segredo", disse. Segundo cifras oficiais, foram atendidas 100 pessoas comtraços de transexualidade e 28 delas foram indicadas a realizara cirurgia. Nem todos desejam se submeter à operação de trocade sexo. Mariela lembrou que quando a imprensa estatal cubanainformou sobre a operação de troca de sexo realizada em 1988,houve quem escreveu às autoridades dizendo que aquilo era uma"barbaridade".No sábado, Cuba vai comemorar o "Dia Mundial contra aHomofobia", no qual se incluirão debates sobre a diversidadesexual, apresentação de livros sobre a transexualidade e atéespetáculos de transformistas. A comemoração é apoiada pelo Partido Comunista efinanciada, em parte, pela União de Jovens Comunistas, disseMariela. "É um sinal de que há compreensão, de que estão seintegrando e participando mais ativamente no processo",afirmou. Entretanto, Mariela não acredita que Cuba vá comemorar nofuturo o Dia do Orgulho Gay, porque não é pertinente paraeducar a sociedade cubana. "Não queremos provocar, não queremos molestar, não queremostransgredir ninguém. Somente queremos envolvê-los nacompreensão da necessidade de ser mais humano", acrescentou. (Reportagem de Rosa Tania Valdés)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.