Cuba libera compra de carros novos e usados, diz mídia oficial

Pela primeira vez desde a Revolução de 1959, os cubanos terão o direito de comprar carros novos e usados do Estado sem permissão do governo, anunciou o jornal estatal nesta quinta-feira, em mais uma medida de liberalização econômica da ilha comunista.

MARC FRANK, Reuters

19 de dezembro de 2013 | 14h46

Há dois anos os cubamos podem comprar e vender carros usados entre eles, mas precisam de uma autorização do governo para comprar um carro novo ou de segunda mão, quase sempre um veículo relativamente novo usado antes para locação, de fornecedores do Estado.

O jornal do Partido Comunista, Granma, disse que o Conselho de Ministros aprovou novas regras na quarta-feira para "eliminar mecanismos existentes de aprovação de compra de veículos do Estado".

Como resultado, segundo o jornal, "a venda no varejo de motos, carros, vans, pequenos caminhões por cubanos e residentes estrangeiros, empresas e diplomatas foi liberada".

O Estado cubano mantém o monopólio da venda de carros no varejo.

A liberalização foi uma das mais de 300 reformas propostas pelo presidente Raúl Castro, que assumiu o poder no lugar do seu irmão, Fidel, em 2008, e aprovadas pelo Partido Comunista em 2011.

As mudanças valorizam a iniciativa privada e flexibilizam o controle do governo sobre a venda e a compra de bens pessoais.

Em Cuba, novos modelos de carro são na sua maioria do Estado, que os vende usados por um preço relativamente baixo para pessoas selecionadas, como diplomatas e médicos no exterior, que os revendem por quatro ou cinco vezes o preço que compraram.

Cubanos e estrangeiros precisam da permissão do governo para importar carros, uma norma que, de acordo com o Granma, vai continuar.

As novas regras serão oficialmente publicadas nos próximos dias e se tornarão lei 30 dias depois.

(Reportagem por Marc Frank)

Tudo o que sabemos sobre:
CUBACARROSJORNAL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.