Cuba prende responsáveis por jornal online independente

Além de prisões, polícia apreendeu aparelho de fax, celular e diversos livros considerados 'subversivos'

Efe,

10 de setembro de 2009 | 19h29

A polícia cubana deteve nesta quinta-feira, 10, Yosvani Anzardo Hernández e Yoni Jaime Ruiz Carballosa, os responsáveis pelo jornal digital independente Candonga, na cidade de Urbano Noris, no leste do país, disseram os familiares dos detidos. Em declarações à Agência Efe, Lourdes Yen, esposa de Hernández, disse que a polícia se apresentou em sua residência na manhã desta quinta em busca de "evidências contrarrevolucionárias" e registraram uma ocorrência antes de levar seu marido algemado.

 

Segundo Yen, os policiais também pediram para levar um aparelho de fax, um telefone celular e diversos livros considerados como "subversivos". Hernández, de 35 anos, teve tempo de destruir o servidor do jornal Candonga antes que a Polícia entrasse em seu domicílio, disse Yen, ao esclarecer que seu marido já havia sido detido em junho por algumas horas no aeroporto da província de Holguín, onde fica a cidade de Urbano Noris, após uma viagem a Havana.

 

Yosvani Anzardo Hernández já foi diretor da agência Jóvenes sin censura ("ovens sem censura), que publicava denúncias na internet, mas deixou o cargo para editar o jornal digital. Yen disse que seu marido foi levado para as dependências policiais de Pedernales. Sobre Carballosa, ela explicou que a Polícia o levou da casa de seus pais, onde reside e onde hospedava o servidor principal do Candonga.

 

As detenções ocorrem no mesmo dia do julgamento em segunda instância em Havana de um homem que protestou contra a fome em Cuba diante de câmeras de televisão. O acusado já foi condenado em agosto a dois anos de prisão.

Tudo o que sabemos sobre:
Cuba

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.