Cuba quer construir 30 hotéis com dinheiro de Espanha e China

Cuba prevê construir 30 novos hotéis até2010, com investimentos de Espanha e China, o que ampliaria em21,7 por cento a sua capacidade hoteleira, segundo relatóriopublicado na quarta-feira no site do Ministério do Turismo. O turismo, um dos motores da economia cubana, é uma dasáreas onde o governo de Raúl Castro pretende estimularinvestimentos estrangeiros. "Cuba aspira a incorporar 30 novas hospedagens [hotéis], apartir deste ano e até 2010, a fim de somar mais de 10 milquartos à quantia existente", disse o portal oficial turísticowww.cubatravel.com. O ministério não revelou a quantia envolvida nem asempresas interessadas. Cuba tem atualmente uma capacidadehoteleira de 46 mil quartos. Dez dos novos hotéis serão construídos em Havana, onde háatualmente 62 estabelecimentos com 12 mil quartos, segundo osite. De acordo com as cifras oficiais, 70 por cento dosrendimentos turísticos na ilha são gerados no balneário deVaradero e em Havana. Mas o setor turístico se contraiu nosúltimos anos, devido à perda de competitividade nas tarifas e àbaixa qualidade dos serviços, em comparação a outros destinosmais baratos do Caribe, como Yucatán (México) e RepúblicaDominicana. A revalorização da moeda cubana, há três anos, contribuiucom uma queda de 3,6 por cento nas visitas em 2006, quandohouve 2,2 milhões de visitantes. Cuba fechou 2007 com mais de 2milhões de visitantes, segundo dados oficiais. (Reportagem de Rosa Tania Valdés)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.