Cuba revela quatro assassinatos vinculados a suposta saída ilegal do país

Quatro pessoas foram encontradas assassinadas em um sítio perto de Havana, relatou nesta quarta-feira o Ministério do Interior de Cuba, que vinculou o caso a uma suposta saída ilegal do país.

REUTERS

11 de junho de 2014 | 19h39

O ministério afirmou que seis pessoas que supostamente participaram dos fatos foram detidas, segundo uma nota oficial divulgada pela emissora estatal Radio Reloj.

O comunicado afirmou que os cadáveres das quatro pessoas "eliminadas de forma violenta" foram encontrados em um sítio do povoado de Playa Baracoa, cerca de 20 quilômetros a oeste da capital, Havana.

"De acordo com os resultados preliminares do processo investigativo levado a cabo por uma equipe multidisciplinar, o crime está associado a um suposto plano de saída ilegal do país com apoio do exterior", informou o texto.

Muitos cubanos, prejudicados pela crise econômica no país, tentam abandonar a ilha de maneira ilegal em balsas ou lanchas organizadas por contrabandistas para chegar à costa da Flórida, nos Estados Unidos.

É incomum o governo comunista, que não deu mais detalhes do caso, divulgar informações relacionadas a homicídios, roubos ou assaltos.

(Reportagem de Nelson Acosta)

Mais conteúdo sobre:
CUBAMORTOSPAIS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.