Danos causados pelo Dean adiam eleições na Jamaica

Pelo menos 30 mil pessoas podem estar desabrigadas após passagem de furacão no Caribe no domingo

Associated Press e Reuters,

21 de agosto de 2007 | 14h06

A Comissão Eleitoral da Jamaica decidiu nesta terça-feira, 21, adiar a realização das eleições no país por conta dos danos causados pela passagem do furação Dean na ilha no domingo.   Nesta terça, pelo menos 6.445 pessoas permaneciam nos 268 abrigos em todo o país. O aeroporto de Montego Bay foi reaberto e autoridades esperam que as atividades no aeroporto da capital, Kingston, volte a funcionar normalmente na quinta-feira.   As autoridades dizem que até 30 mil pessoas podem estar desabrigadas devido às chuvas e ventos provocados pelo Dean, que passou perto do sul da Jamaica, para alívio da população, já que antes havia a previsão de que o olho da tempestade atingiria a ilha em cheio.   Moradores com facões e machados retiraram árvores caídas, e com pás e vassouras limparam os destroços espalhados pelo Dean, que provocou deslizamentos e fechou estradas na montanhosa ilha caribenha.   O Departamento de Turismo disse que os balneários do norte, os mais freqüentados pelos visitantes, sofreram danos mínimos. Os principais aeroportos do país, em Montego Bay e Kingston, devem reabrir ainda nesta segunda-feira.   "Sofri poucos danos na minha casa, mas a casa dos meus pais em Saint Elizabeth teve o telhado arrancado", contou Marsha Banks, 22 anos, moradora da capital. "Além disso, minha irmã mais nova, que teria bebê em setembro, deu à luz hoje de manhã. Talvez ela tenha sido tomada pelo medo."

Tudo o que sabemos sobre:
furacão DeanJamaica

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.